Maria Ivone Vairinho e Poetas Amigos

Março 21 2010
Olá caríssimos amigos
 
Neste dia internacional da poesia quero compartilhar convosco
este livro electrónico (e-book) elaborado com as mensagens recebidas e
algumas fotos da homenagem com que tão distintamente fui honrado.
 
Para ver o livro basta apenas abrir a minha página 
 
www.euclidescavaco.com
 
Para acesso ao livro clique em Homenagem a Euclides Cavaco.
Carregue num dos sistemas DNL ou EXE formatos
ao lado do livro para guardar. Depois já pode abrir e ler o livro.
 
Se tiver alguma dificuldade por favor contacte-me.
Obrigado e desejos dum felicíssimo dia internacional da poesia.
 
Euclides Cavaco
cavaco@sympatico.ca
 
Venha tomar comigo um cálice de poesia...
Entre por aqui na minha sala de visitas:
www.ecosdapoesia.com
publicado por appoetas às 17:35

Março 21 2010

das pedras que perfazem o meu corpo

esculpido a ferros engrenados no tempo

nasce um rio de leito aberto como um sopro

águas puras que escrevem meu testamento

 

passa fresco em terras secas de outras mãos

chora a fome na planície de um olhar

pelas sementes que sem amor morrerão

pela colheita triste de um solo a chorar

 

e jaz aqui as palavras que um dia sorriram

na altivez de uma vida cheia de sonhar

esperam agora pelas palavras que já partiram

 

num consolo tranquilo ávido de descansar

entre as raízes grossas de um abraço lento

morre o poema com palavras de esquecimento

publicado por Vanda Paz às 17:33
Tags:

Março 21 2010


Depois de tanta chuva e tanto frio,
Saudade já do sol, na longa espera,
Vem ele se mostrar cheio de brio
Brilhando lá no alto. É Primavera!


Ausenta-se de nós todo um vazio...
Vem a estação do amor e da quimera;
De todas a mais suave, um quase-estio,
Aroma, ele há da flor, na atmosfera


Cupido, aos jovens pares, manda a seta;
Inspira-se nas telas o poeta,
As que há na natureza em seu redor...


Regressam aos beirais as andorinhas;
Estação que nos acolhes, que acarinhas,
És linda, dando à alma mais calor!



Joaquim Sustelo

 

 

publicado por tardesdeoutono às 14:34

Março 21 2010

 

POESIA

 
É o jorrar fluente do poema
no suave deslizar duma caneta.
A sabedoria de um asceta.
O sentir ainda
o doce olhar materno
resignado, puro e santo,
com se fora um manto.
Um raio de sol a despontar...
O recordar-me num poente.
O azul do meu horizonte.
O céu estrelado da minha aldeia.
O luar que meu mar prateia.
Um riacho a murmurar
no verde fresco do prado.
As floridas primaveras.
Os ninhos feitos nas heras.
A candura das crianças.
As flores, suas fragâncias.
Mas a mais sublime,
única rosa do meu roseiral
onde um botão germina
por arte divina.
Místico advento,
realidade, sonho ou utopia.
Sagrado ventre
que meus dedos tocam
Meu canto, minha harpa.
A mais bela melodia.

 
VIRGÍNIA BRANCO
Oeiras, 21/03/2010

 
publicado por virginiabranco às 09:41

Março 21 2010

 

 

Primavera (c. 1478) é um quadro de Sandro Botticelli.

(fonte:Wikipedia) 

 

DIA MUNDIAL DA POESIA

21 DE MARÇO DE 2010

Orlando Neves e Serafim Ferreira, na antologia "800 anos de poesia portuguesa”, começam a introdução com esta frase:

 
"A poesia portuguesa — dos primeiros ecos trovadorescos até aos poetas mais novos da actualidade — estende-se através de um rio caudaloso de oitocentos anos, acompanhando sempre os ritmos e sinais dos tempos, a ideologia e os sentimentos humanos das épocas, a religiosidade do que é mais sublime e a visão cósmica e profunda do mundo em que os homens se situam".
 
Manuel Hermínio Monteiro, o responsável pela espantosa obra "Rosa do Mundo — 2001 Poemas Para o Futuro", sintetiza:
 
"Há muitos e muitos milhares de anos, a poesia aproximou-se do homem e tão próximos ficaram, que ela se instalou no seu coração. E começaram a ver o mundo conjuntamente estabelecendo uma inseparável relação que perdurará para sempre".
 
Na "Rosa do Mundo" são incluídas as mais diversas cosmogonias, abrangendo todos os povos e todos os continentes, versículos da Bíblia, textos do Alcorão, canções e orações de todas as culturas, eruditas e populares.
 
Esta antologia vem confirmar o que já não era segredo para ninguém — a poesia reside na sua essência e não na sua forma. Nesta obra são tratados como poemas o que muita gente apelidaria de prosa poética.
 
Desde sempre, o Poeta foi a correia de transmissão dos sonhos, desejos e utopias do Homem, fazendo apelo aos seus sentimentos mais nobres. E hoje, mais do que nunca, o Poeta deve estar atento, para que os sonhos não morram, para que continuem "a comandar a vida" como disse António Gedeão.
 
Com os poemas dos nossos poetas (grandes entre os maiores) entramos num mundo utópico e real, de amor e raiva, de dor e esperança, de tristeza e alegria, de liberdade e igualdade, de justiça e paz — recuso-me a encontrar antónimos para estas palavras, pois nunca o verdadeiro poeta defendeu a opressão, a escravatura, a guerra, o racismo, a xenofobia.
  •   Porque a Poesia é eterna, acompanhando a evolução, a história do Homem.
  •  Porque a Poesia canta o que de mais sublime existe no Homem e no mundo que o rodeia. 
  •  Porque desde tempos remotos a poesia se instalou no coração do Homem. 
  •  Porque lhe foi reconhecida universalidade, intervenção positiva, defesa dos sentimentos mais nobres do Homem
  • em todo o Mundo se reconhece o seu valor no DIA MUNDIAL DA POESIA.
 Inês Pedrosa aconselha na sua maravilhosa Antologia de “Poemas de Amor”:
 
O amor à poesia não se aprende — nada do que é verdadeiramente fundamental na vida se aprende — mas pode contagiar-se".
 
Vamos, pois, espalhar esta bênção, este amor e contagiar toda a gente!
 
Dia Mundial da Poesia, 21 de Março de 2010
   
Maria Ivone Vairinho - Presidente da Direcção da
Associação Portuguesa de Poetas
 

 

    AOS POETAS
 
Somos nós
As humanas cigarras!
Nós,
Desde o tempo de Esopo conhecidos...
Nós,
Preguiçosos insectos perseguidos.
 
 Somos nós os ridículos comparsas
Da fábula burguesa da formiga.
Nós, a tribo faminta de ciganos
Que se abriga
Ao luar.
Nós, que nunca passamos.
A passar!
 
Somos nós, e só nós podemos ter
Asas sonoras.
Asas que em certas horas
Palpitam.
Asas que morrem mas que ressuscitam
Da sepultura!
E que da planura
Da seara
Euguem a um campo de maior altura
A mão que só altura semeara.
 
Por isso a vós, Poetas, eu levanto
A taça fraternal deste meu canto,
E bebo em vossa honra o doce vinho
Da amizade e da paz!
Vinho que não é meu,
Mas sim do mosto que a beleza traz!
 
E vos digo e conjuro que canteis!
Que sejais menestreis
Duma gesta de amor universal!
Duma epopeia que não tenha reis,
Mas homens de tamanho natural!
 
Homens de toda a terra sem fronteiras!
De todos os feitios e maneiras,
Da cor que o sol lhes deu à flor da pele!
Crias de Adão e Eva verdadeiras!
Homens da torre de Babel!
 
Homens do dia-a-dia
Que levantam paredes de ilusão!
Homens de pés no chão,
Que se calcem de sonho e de poesia
Pela graça infantil da vossa mão!
 
    Miguel Torga
 
publicado por appoetas às 01:38

Este blogue está aberto aos co-autores e Poetas Amigos de Maria Ivone Vairinho
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

15

22

29


links
pesquisar
 
Tags

11 poemas inéditos de carlos cardoso luí(1)

25 anos app(11)

ada tavares(18)

adriano augusto da costa filho(39)

albertino galvão(11)

albina dias(18)

alfredo martins guedes(2)

ana luísa jesus(4)

ana patacho(3)

anete ferreira(3)

antónio boavida pinheiro(22)

app(5)

armindo fernandes cardoso(3)

bento tiago laneiro(5)

carlos cardoso luís(13)

carlos moreira da silva(2)

carmo vasconcelos(22)

catarina malanho semedo(2)

cecília rodrigues(48)

cláudia borges(8)

dia da mãe(8)

dia da mulher(9)

dia do pai(6)

donzília martins(8)

edite gil(68)

elisa claro vicêncio(4)

euclides cavaco(100)

feliciana maria reis(4)

fernando ramos(20)

fernando reis costa(3)

filipe papança(11)

frances de azevedo(2)

gabriel gonçalves(14)

glória marreiros(20)

graça patrão(6)

helena paz(15)

isabel gouveia(3)

jenny lopes(11)

joão baptista coelho(1)

joão coelho dos santos(7)

joao francisco da silva(4)

joaquim carvalho(3)

joaquim evónio(9)

joaquim sustelo(70)

judite da conceição higino(4)

landa machado(1)

liliana josué(45)

lina céu(5)

luis da mota filipe(7)

manuel carreira rocha(4)

margarida silva(2)

maria amélia carvalho e almeida(6)

maria clotilde moreira(3)

maria emília azevedo(5)

maria emília venda(6)

maria fatima mendonça(2)

maria francília pinheiro(3)

maria ivone vairinho(14)

maria jacinta pereira(3)

maria joão brito de sousa(69)

maria josé fraqueza(5)

maria lourdes rosa alves(4)

maria luisa afonso(4)

maria vitória afonso(8)

mário matta e silva(20)

mavilde lobo costa(22)

milu alves(6)

natal(16)

odete nazário(1)

paulo brito e abreu(6)

pinhal dias(9)

rui pais(8)

santos zoio(2)

sao tome(10)

susana custódio(15)

tito olívio(17)

vanda paz(23)

virginia branco(13)

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO